quarta-feira, 4 de setembro de 2013

Capítulo 19/19 - Voltando à terra da Scheelita

Já na pousada começamos a arrumar a bagagem para voltar ao solo potiguar. Como Eu e Joselito iriamos de ônibus, aproveitamos para dormir um pouco. Mas não consegui dormir por causa do ar condicionado.

Às 15h pessoal pegou a estrada e deixou umas coisas mais brutas para levar no ônibus, como cooler, isopor e a bike de Francisco que sendo uma magrela pesava mais que minha MTB.

Às 16h levantamos e começamos a nos preparar para irmos embora. Acertamos a pousada com Betinho e ele gentilmente se ofereceu para levar nossa bagagem até a rodoviária em seu carro. Fomos pedalando até a rodoviária e ao chegar Betinho já nos aguardava no estacionamento. Nos despedimos dele e seguimos para a plataforma de embarque.

Nesse momento a gripe começava a me pegar, o corpo já esmurecido e eu só imaginando o ar-condicionado naquele ônibus. Começei a tomar água de Côco para me hidratrar. Às 17h15min o ônibus enconsta na plataforma e levamos as bikes para o porta-malas. O cobrador disse que o valor para levar as bikes seriam R$30,00 cada, mas faria as duas por R$50,00. Joselito me informa que Francisco deixou R$30,00 que sobrou dos patrocínios para pagar o transporte das bikes.  A minha bike já estava aranhada e soltei uma brincadeira com o cobrador enquanto ele ajeitada as bikes: “Se você arranhar ela, você tá lascado”. Ele disse outra coisa lá que não me lembro.

Às 17h35min pegamos a estrada. Quando vi Joselito puxando seu cobertor, percebi que não tinha trazido o meu, o jeito foi usar a bandeira do Bike Ação de cobertor. Passou de Missão Velha, começei a cochilar, vim acordar em Barro às 20h30min com o cobrador informando que seria a parada da janta. A gripe já estava arrochando e apenas tomei 2 águas-de-côco e voltei pro ônibus.

Sabe aquele momento que dorme e quando acorda pensando que tinha cochilado e na verdade você dormiu um bocado de tempo!? Pois bem, foi isso mesmo que aconteceu comigo. Saímos de Barro e fechei os olhos, e quando abrie, nós já estávamos em Cajazeiras. E parece que a gente adivinha quando tá perto de chegar, pois quando fechei os olhos novamente e abrie, já estava em Acari. Daí não dormie mais. Joselito parece que adivinhou também, pois acordou em seguida e foi logo ligando para sua namorada informando que estava perto e ela podia se preparar para ir esperá-lo na rodoviária.

Às 1h30min nós já estávamos em solo curraisnovense. Na hora de retirar a bagagem ainda tive humor para tirar uma onda com o cobrador lembrando da minha bike: “Se tiver um arranhaozinho na minha bike, você tá lascado”. Retiramos a bagagem e eu e Joselito nos despedimos e cada um seguiu seu rumo.

Esse foi um pedal muito sofrido, porém foi muito prazeroso, foram apenas 3 dias, mas valeram por 30 dias de férias, para quem quer esquecer os problemas, se desestressar, não tem remédio melhor. Mas essa viagem não teria acontecido se não fosse a colaboração de muitas pessoas financeiramente e moralmente que quero aqui humildemente agradecer: Rosan da Construtora Sol, Inês e Miguel da Pedal & Cia, Raime da Loja Soskap, Dr. Flaubert, Vereador Izinho Brandão, Chagas da Casa das Bicicletas, Walcley da Loja Vintz, Vicemar da JVC Distribuidora, Nilson da CicloMotos, Helder da Rede Unilar HS Móveis.

Agradeço Cleotônio que disponibilizou seu rolo de treino que usei o ano inteiro, a Paulo da Oficina, a Estralo, a seu Gerson, Naldo do Churrasquinho Grego, Meus pais, minha tia e minhas avós, a Zezinho da Feira, ao poeta José Omar Ribeiro, Ao grupo Bike Ação em especial a Eugênio Medeiros.

Agradeço aos ciclistas que torceram pela viagem, a quem torcia e acreditava que não aconteceria essa viagem, a quem queria apostar que eu não ia conseguir, a quem acreditou e me incentivou a chegar lá, aos que foram conosco até acari, para mim foi muito importante esse momento. 

Agradeço aos ciclistas que participaram da viagem Francisco, Mariano, Zé Neto, Didi, Joselito e ao motorista Ailton, agradeço pela paciência de aguentar a minha lentidão e por terem participaado da viagem. Agradeço a você que se interessou para ler este relato que fiz com tanto carinho.

Agradeço principalmente a Deus por mais essa passagem que ficará para sempre em minha memória.

Comente com o Facebook:

Postar um comentário

compartilhe